O QUE ACONTECEU COM O AMOR?

— Vem cá, o que aconteceu com o amor? O que aconteceu com aquele amor de cinema onde o casal dança na chuva, o artista famoso declara seu amor para o mundo inteiro ouvir, o príncipe esquece a corte e segue o seu coração, o badboy fica bonzinho, o mundo para quando seguram as mãos, e o beijo…ah… é comemorado com as mãos no alto em sinal de vitória. O que aconteceu com isso na vida real? Para onde foi parar esse amor? Por que ninguém faz isso? 

“Cheguei na adolescência bêbada de tantos livros ultrarromânticos e clichês que, honestamente, achei que o cara mais popular e mais gato da escola se apaixonaria por mim, a nerd feiona. Spoiler: isso não aconteceu.

É bom pensar que sim, é gostoso de iludir, mas queima como fogo na palha quando temos certeza que, nada disso vai acontecer, quando temos certeza que não vivemos em uma comédia romântica da Netflix. O máximo que acontece na vida real é um carinha até que bonitinho chegar em você na balada com uma cantada fajuta.”

Limpei a lágrima com o dedo.

— Cadê, o meu príncipe?  — continuei. — Cadê aquele cara lindo bronzeado com olhos brilhantes e coração palpitante falando no pé do meu ouvido que quer passar todas as sextas-feiras comigo até eu ser dele. Jurando que viu uma estrela no meu olho, acreditando que o mundo fica mais colorido quando estamos juntos, observando cada milímetro de mim com atenção, me decorando por completo sendo capaz de saber o que vou dizer em seguida. E eu, me perder por completo em suas palavras e em seu sorriso malandro. Eu sempre caio no papo mole e no sorriso cansado, mas nunca vai para frente, o que eu tô fazendo de errado?”

Suspirei com força.

— É que honestamente, uma hora cansa. São tantos delírios de um coração oferecido, tantos amores de uma noite que nunca chegam na manhã, que eu acho que só cansei, sabe como é? Você ainda acredita no amor? Apesar disso tudo?

— Acredito — me respondeu de maneira casual.

— Mas…

— É melhor falar que acredita e não pensar mais nisso do que de fato descobrir que esse amor aí, romântico e clichê, não existe. O que existe é alguém bacaninha que vai te conquistar em um papo, mas vocês dois vão se encaixar e vão chamar isso de amor. Então sim, acredito. 

 — Mas…

— Acreditar é de graça, mas se paga caro pela descrença. 

Esse é de verdade,

Com todo o meu amor, 

como sempre,

S. Ganeff.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: