O CASAL DA SAINT GERMAN

Se conheceram jovens. Deviam estar em um baile repleto de sorrisos largos, olhares longos, saias rodadas e música alta. Um ambiente que escondia rostos com fumaça de cigarro e brumas da noite.  Ele deve ter a visto dançando entre as amigas, rodopiando com seu vestido azul, sorrindo como se não houvesse amanhã. Ah, ele desejouContinuar lendo “O CASAL DA SAINT GERMAN”

BORA VER NO QUE DÁ?

Eu sei que a primeira impressão que você tem de mim não é a melhor. Sei também que por mensagem eu pareço meio sem graça, mas se você me der uma chance, em um encontro casual posso compensar cada falha mal acabada.  Juro que me esforço para causar uma boa impressão. Prometo trazer umas boasContinuar lendo “BORA VER NO QUE DÁ?”

À TUDO QUE ME AGUARDA

Caro Futuro,  Já me disseram que você bate na porta antes do que o previsto, se é que a gente prevê a sua chegada.  De qualquer maneira, escrevo para fazer alguns pedidos humildemente importantes. Pode ser? Ótimo. Antes de mais nada, por favor, seja gentil, tá? É sério. Só peço a sua gentileza, o restoContinuar lendo “À TUDO QUE ME AGUARDA”

O AVIÃO CAIU

O ano era 2009, Pai Engenheiro, Tia do Divã e Tio Careca (licença poética para chamá-lo assim), decidiram passar a virada do ano no Fim do Mundo, na Terra do Fogo. Ushuaia.  Uma cidade de três ruas e geleiras localizada na ponta extrema sul da América do Sul. Para chegar no destino, tínhamos que pegarContinuar lendo “O AVIÃO CAIU”

ESTOU FALANDO DE VOCÊ

Vai. Liga para mim e diz logo que me ama.  Liga para mim e diga com as suas palavras: “nossa… nunca me senti assim…”. Não quer ligar? Muito cool para isso? Tudo bem… manda mensagem.  Me convida em linhas curtas para sair e me diga, com seu jeito confiantemente tímido, que seus dias de cachorro acabaram. VocêContinuar lendo “ESTOU FALANDO DE VOCÊ”

UMA CURTA, PORÉM DEVASTADORA, TRAGÉDIA

Eu me esqueci.  Qual era o gosto dos seus lábios contra os meus?  Qual era a textura deles no fim de noite?  Acho que tinha um gosto diferente quando estavam misturados com saudades, mas não me lembro exatamente qual era.  Como que era mesmo o seu beijo? Por favor me diga que havia algo neleContinuar lendo “UMA CURTA, PORÉM DEVASTADORA, TRAGÉDIA”

CARTA ABERTA AOS MEUS DEZESSETE ANOS

São Paulo, 23:59, 11 de dezembro de 2020 Caro Dezessete Anos,  Lembra quando a gente se conheceu?  Você me deu um beijo e fez uma promessa: não seria igual ao cara passado, seria muito melhor. E eu, nunca mais seria a mesma. Você pulou a minha janela durante a noite, e sentado no canto doContinuar lendo “CARTA ABERTA AOS MEUS DEZESSETE ANOS”

NUNCA TE CONTEI, MAS ESTAVA QUASE

Apesar de ser insegura demais para não dizer em voz alta, sou segura demais para escrever uma carta com nome, data e endereço. Como se você nunca fosse ler.  Então, cá estou eu. Te escrevendo tudo que você deveria saber.  A lua e as estrelas já sabiam que, meus olhos brilhavam mais fortes depois deContinuar lendo “NUNCA TE CONTEI, MAS ESTAVA QUASE”

SHH NÃO FALE NADA

Se embrulhe mais nos cobertores. Isso, assim.  Agora, feche os olhos.  Tá ouvindo?  Consegue ouvir os pingos de chuva que caem do céu com força, baterem na telha?  Consegue ouvi-los escorrendo com pressa desaguando em uma linha fina no cimento do jardim?  Consegue ouvir os carros passando pela rua?  Consegue ouvir as rodas que giramContinuar lendo “SHH NÃO FALE NADA”

NINGUÉM AVISA

Ninguém me avisou o perigo que são os garotos de olhos que refletem o brilho da rua e que tem cheiro de fumaça de teatro.  Ninguém me disse que ele me encantaria como uma criança ouvindo contos de fadas, pronunciando cada palavra como ouro em sua língua dourada.  Nunca me disseram que o sorriso, daContinuar lendo “NINGUÉM AVISA”